Penápolis, Terça-Feira, 21/11/2017 PrincipalFale conosco
Busca
Principal Sobre o Santuário Os Freis Evangelho do dia Horários Notícias Fale conosco
 
Cadastre seu e-mail e receba uma mensagem de paz em sua caixa postal todas as semanas
Nome
E-mail
Notícias e Comunicados

Em preparação ao Natal de Jesus- 12/12/2011

 
            Chegando o fim do ano, as pessoas em geral parecem estar agitadas e ativas. Às vezes, além do cansaço do ano, as correrias dos trabalhos aumentam, devido também as vendas de fim-de-ano. Outras vezes, estudantes estão ainda finalizando seus estudos escolares, em época de provas. Comumente, vemos as pessoas envolvidas com os enfeites, em compras, arrumação da casa... O próprio calor também faz com que as pessoas fiquem mais inquietas. Por outro lado, vemos o costume de montar presépios seja em casa, na Igreja ou mesmo em comércios e lugares públicos e temos muita gente se reunindo em novenas para se preparar ao Natal... Desse jeito, as pessoas, as famílias e a sociedade vão celebrando o final do ano, em meio à proximidade da festa do Nascimento de Jesus.
            Na Igreja, temos esse tempo próximo ao Natal como um momento de forte preparação pessoal e comunitária para bem vivenciar a presença de Deus em nosso meio, na vinda de Jesus Cristo! Como em toda comemoração que fazemos nos preparamos antes, assim não é diferente na vida de fé e na vivência das comunidades cristãs. Com as quatro semanas que precedem ao Natal, os cristãos nos preparamos com a oração, a caridade e a revisão de vida, num tempo que se chama de “Advento”, de espera pelo Cristo que veio há cerca de dois mil anos, que vem hoje ao nosso encontro e que virá ainda completamente para todo o nosso mundo. E essa espera é “vigilante”, ou seja, atenta para acolher a Cristo que está entre nós e em nossa vida, bem como atenta para perceber o que se faz necessário mudar, se converter, para que o Cristo nasça entre nós, em nossa vida.
            Desse modo, vamos rever um pouco nossa vida. Pessoalmente, podemos nos auto-examinar a partir de como nos relacionamos com os outros, tanto as pessoas com que convivemos como a partir das coisas que usufruímos. Diante de muita correria e de busca de sucesso individual – sabemos que hoje tendemos para o individualismo, basta vermos como é desafiante nos reunirmos em família, em grupos e mesmo em comunidade – de modo que, assim, poderíamos nos propor a praticarmos mais o diálogo, a fim de compreendermos melhor os que são diferentes de nós e aprendermos a acolher a todos. Estaríamos, então, nos abrindo a acolher o próprio Cristo, o qual mesmo disse estar naqueles que muitas vezes nos são mal vistos e mal acolhidos: os mendigos, os enfermos, os presos, os que passam dificuldade, aqueles que nos dão “trabalho”...
            Para tanto, a Igreja e a própria Bíblia – Palavra de Deus – nos exortam a fortalecermos nossa vida de oração, o que nos fará despertar e nos equilibrar para relacionamentos mais sinceros, com menos ressentimentos, com mais amor, e para uma relação não consumista, mas de partilha, de agradecimento pelas coisas que temos e com solidariedade aos que não têm. Essa oração que nos refaz como cristãos cresce quando é pessoal, mas também quando é comunitária.
Assim dizendo, em nível comunitário, podemos participar mais de grupos que se reúnem para rezar e aprofundar a mensagem de Jesus seja em novenas de Natal, seja nas próprias comunidades, na participação da Eucaristia, da celebração da Reconciliação (confissão)... E ainda expressando que somos comunidade que vai ao encontro dos outros, com visita aos nossos conhecidos, amigos ou mesmo aos parentes de que nos afastamos ou para alguma pessoa que está enferma ou necessitada de auxílio...
            Por fim, podemos rever nossa vida em sociedade. Sabemos que estamos em meio à violência, falta de justiça, com uma visão que se fixa no lucro às custas das pessoas e do nosso Planeta: Basta vermos como está se encaminhando o novo Código Florestal Brasileiro, o qual, segundo a própria Igreja (nota da CNBB), regride muito favorecendo ainda mais os que desmatam ilegalmente e diminuirá muito mais a proteção às florestas, inclusive à Amazônia... É lamentável notar que ainda o lucro e a ganância que destroem a vida humana e o meio ambiente falam alto.
Por isso, somos impelidos, com a celebração do Nascimento de Jesus, a promover e lutar para garantir que a vida possa florescer e crescer em nossa sociedade, deixando nascer por nossas mãos, com nossos trabalhos ainda que humildes, a vida digna às pessoas, aos pobres seja anunciada a Boa Nova, a recuperação aos marginalizados, a libertação aos que são oprimidos (cf. Is 61,1) e, enfim, toda a Terra possa ter vida e em abundância: Isso busquemos e alimentemos na grande esperança de que Cristo vem estar conosco, nos apontar os caminhos e mostrar que a defesa da vida e o amor são os construtores do mundo fraterno e pacífico que todos queremos.
 
    Frei Marcelo Toyansk Guimarães – Santuário São Francisco de Assis
 
 
Principal Sobre o Santuário Os Freis Galeria de Fotos Horários Notícias Fale conosco  
 

Este site foi visitado 227594 vezes.

© 2009 Santuário São Francisco de Assis - Penápolis. Todos os direitos reservados.