Penápolis, Quarta-Feira, 14/11/2018 PrincipalFale conosco
Busca
Principal Sobre o Santuário Os Freis Evangelho do dia Horários Notícias Fale conosco
 
Cadastre seu e-mail e receba uma mensagem de paz em sua caixa postal todas as semanas
Nome
E-mail
Notícias e Comunicados

SEMANA DA FAMÍLIA- 07/08/2010

“Família, formadora de valores humanos e cristãos”. Este é o tema da SEMANA NACIONAL DA FAMÍLIA, que começa neste domingo, 8, dia dos pais, em Penápolis e em todo o Brasil. Esta é a 14ª edição do evento e repete o tema do 6º Encontro Mundial das Famílias, que aconteceu no México, em janeiro de 2009.
"Nessa semana, as comunidades eclesiais, escolas, clubes, associações, animadas pela Pastoral Familiar, têm um espaço para preparar e organizar programações diversas, revigorando a integração familiar e ressaltando as virtudes e valores da família", disse o presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB, dom Orlando Brandes.
“Queremos criar cada vez mais a tradição da Semana Nacional da Família, nas dioceses e nas paróquias de todo o Brasil. Fazer com que as famílias possam refletir sobre os temas, não somente na Semana Nacional, mas todos os dias”, completou dom Orlando.
 
A FAMÍLIA NO LIVRO DO GENESIS
 
A Semana da Família é uma oportunidade para nossa reflexão, oração e apoio a todas as famílias. A família é um querer divino e tem suas raízes na família divina a SS Trindade. Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança, ou seja, Deus vive em comunidade e aliança de pessoas. Assim deve ser a família. Ao concluir a criação. Deus abençoou o homem e a mulher e exultando de alegria exclamou “está muito bom” (Gn1,31). O próprio Deus se comove e tomado de assombro, admiração e exultação, manifesta seu contentamento pela família. Desde o princípio, a família é projeto de Deus (Mt 19,4).
Deus declara que “não é bom o homem estar só” (Gn 2,18). O individualismo, o isolamento, a solidão não fazem bem. A vocação humana é a reciprocidade, a complementaridade, o relacionamento, a comunicação. É na família que todos estes valores acontecem desde a fecundação da vida. O berço da comunicação e do crescimento humano é a família. Ela é a primeira sociedade, a primeira instituição, a primeira comunidade. Como sofrem as pessoas sem pai, sem mãe, sem filhos, sem irmãos. A desagregação familiar desorienta as pessoas e desordena a sociedade.
A mulher é criada como ajuda, auxiliar, companheira do homem (Gn 2,18.22). A mulher tirada da costela é um símbolo profundo, ou seja, homem e mulher devem ser amigos, companheiros, parceiros. Eles se completam, se ajudam, mutuamente. Seu destino depende do diálogo, da comunicação, da ajuda mútua, da convivência harmoniosa, da reciprocidade. Homem e mulher são chamados a viver lado a lado não acima, nem abaixo, nem contra o outro. Sua vida e felicidade dependem da convivência diária.
Quando o homem viu a mulher exclamou estupefato e impactado, “osso de meus ossos, carne de minha carne” (Gn 2,23). Esta declaração cheia de assombro é também a confissão, o reconhecimento da igualdade de dignidade entre o homem e a mulher. Todo machismo, exclusão, feminismo, discriminação não cabem no projeto de Deus. Desde o princípio o Criador quis a igualdade de dignidade dos sexos, igualdade e dignidade da pessoa humana, ou seja, do homem e da mulher.
O Criador deixou uma ordem, uma condição, um imperativo para que a família seja um bem para os esposos, os filhos e a sociedade: “o homem deixará seu pai e sua mãe, se unirá à sua mulher e ela será uma só carne” (Gn 2,24). O que caracteriza a família é a unidade, a comunhão, a convivência. Ser uma só carne é aceitar o outro como ele é, unir corpos, almas, corações, ideais, esperanças, formar comunidade de vida e de amor, superando as deficiências e criando empatia, formando o “nós” e em doação mútua, em perdão constante, em oração conjugal e familiar, é ser uma só carne. É preciso, porém, deixar pai e mãe, ou seja, cortar as dependências, apegos e assumir a liberdade e a responsabilidade da formação de uma nova família. Não podia faltar o mandamento do Criador em favor da transmissão da vida: “Sede fecundos” (Gn 1,28). A família é sacrário da vida, berço do amor onde a vida é transmitida, respeitada, cuidada e promovida. Os pais são colaboradores do Criador e o amor conjugal é fecundo. Quando um bebê nasce ele é responsável pelo nascimento de uma família. Com o bebê nasce um pai e uma mãe, ele transforma o casal em família. Quem embala um bebê, está embalando o futuro do mundo. Os filhos têm direito de ter um pai e uma mãe e direito à presença deles em casa. Que a família acredite naquilo que ela é.         
 
Dom Orlando Brandes - Arcebispo de Londrina
 
ORAÇÃO DA SEMANA DA FAMÍLIA
 
Senhor Jesus Cristo, vivendo em família santificaste a família humana.
Vive também conosco, habita em nossas famílias, e assim formaremos uma pequena Igreja doméstica, comunidade de amor e santuário da vida, pelo diálogo, partilha, perdão, afeto e respeito à santidade do matrimônio.
Senhor Jesus Cristo, afasta de nossas famílias a tentação da infidelidade e do divórcio, do aborto e do egoísmo, da indiferença e do acúmulo, da desunião e da incapacidade de perdoar, da falta de diálogo e de afeto e de todos os males que nos afetam.
Senhor Jesus Cristo, suscita em nossas famílias, berço da vida e toda vocação, homens e mulheres dispostos a consagrarem-se a Cristo e à Igreja.
Que nossos jovens se preparem conscientes, responsáveis e dignamente, para o santo matrimônio.
Enfim, Senhor Jesus Cristo, fica conosco, em nossas famílias para nos abençoar e nos dar coragem em nossas lutas cotidianas, conforto e alívio nos sofrimentos, sabedoria e discernimento para sermos colaboradores na construção de uma nova civilização do amor e da esperança.
Ó Maria, Mãe de Deus e de nossas famílias, protegei-nos. Amém!
 
 
Principal Sobre o Santuário Os Freis Galeria de Fotos Horários Notícias Fale conosco  
 

Este site foi visitado 243459 vezes.

© 2009 Santuário São Francisco de Assis - Penápolis. Todos os direitos reservados.