Penápolis, Sexta-Feira, 24/11/2017 PrincipalFale conosco
Busca
Principal Sobre o Santuário Os Freis Evangelho do dia Horários Notícias Fale conosco
 
Cadastre seu e-mail e receba uma mensagem de paz em sua caixa postal todas as semanas
Nome
E-mail
VICENTINOS

O que é a Sociedade de São Vicente de Paulo

 

A Sociedade de São Vicente de Paulo, conhecida pelas iniciais SSVP, no Brasil, é uma organização e um movimento católico internacional de leigos, fundada em Paris, França, no ano de 1833, por Antônio Frederico Ozanam (na época com 20 anos de idade) e alguns companheiros. Colocada sob o patrocínio de São Vicente de Paulo, inspira-se no pensamento e na obra deste Santo, esforçando-se, sob o influxo da justiça e da caridade, para aliviar os sofrimentos do próximo, mediante o trabalho coordenado de seus membros. Fiel a seus fundadores, tem a preocupação de renovar-se constantemente e adaptar-se às condições mutáveis do mundo. De caráter católico, está aberta a quantos desejam viver sua fé no amor e no serviço a seus irmãos. A unidade da SSVP no mundo é representada por sua REGRA (REGULAMENTO). Busca, incansavelmente, um trabalho de maior contato e aproximação com a Igreja, através do Clero.

Nenhuma obra de caridade é estranha à SSVP. Sua ação compreende qualquer forma de ajuda, por contato pessoal, no sentido de aliviar o sofrimento e promover a dignidade e a integridade do homem. A SSVP não somente procura mitigar a miséria, mas também descobrir e remediar as situações que a geram. Leva sua ajuda a quantos dela precisam, independentemente de raça, cor, nacionalidade, credo político ou religioso e posição social: daí a existência das chamadas Obras Unidas (asilos, creches, hospitais, etc.).

Os membros da SSVP, Confrades e Consócias (os Vicentinos), são unidos entre si pelo espírito de pobreza e de partilha. Formam, no mundo inteiro, com aqueles a quem prestam auxílio, uma só família, buscando contato com todos os demais movimentos e organizações inspiradas em São Vicente de Paulo: é a FAMÍLIA VICENTINA. Os vicentinos procuram, pela oração, pela meditação da Sagrada Escritura e pela fidelidade aos ensinamentos da Igreja, ser testemunhas do amor a Cristo, em suas relações com os mais desprovidos, bem como, nos diversos aspectos da vida.

A coordenação do trabalho vicentino depende de uma organização simples, mas complexa: primeiro existem grupos, tradicionalmente chamados de Conferências, que se reúnem com regularidade e freqüência. Essas Conferências são unidas entre si por meio de Conselhos Particulares, de âmbito local. Esses são vinculados a Conselhos Centrais, órgãos executivos em determinada circunscrição. Na seqüência hierárquica há os Conselhos Metropolitanos, de âmbito regional. Em nível nacional existe o Conselho Nacional do Brasil, com sede no Rio de Janeiro, RJ. Coordenando o trabalho em todo mundo está o Conselho Geral Internacional, em Paris, na França. Cada um dos Conselhos deverá ter formada uma Equipe especial, com trabalho voltado para a juventude, denominado COMISSÃO DE JOVENS. O maior trabalho de formação vicentina está a cargo, no Brasil, das Escolas de Caridade de Antônio Frederico Ozanam (ECAFO).

Atualmente a SSVP está presente em 135 (cento e trinta e cinco) países, com um número aproximado de 500 mil membros. O Brasil é o maior país vicentino do mundo: são 20 mil Conferências, 1754 Conselhos Particulares, 272 Conselhos Centrais, 30 Conselhos Metropolitanos e 2 mil Obras Unidas, coordenados pelo Conselho Nacional do Brasil.

 As finalidades da Sociedade de São Vicente de Paulo e sua Técnica Assistencial

 Sua finalidade principal é promover a santificação de seus membros por meio da prática da caridade (vivência real do evangelho). Prestar serviços aos que estiverem em dificuldades e levá-los a Deus sempre que possível. A maior preocupação de Ozanam era o aprimoramento espiritual de seus participantes, sendo os assistidos os providenciais meios que Deus nos deu para isso.

O vicentino deve insistir na promoção integral do assistido, orientando-o no plano material, mas muito mais no plano espiritual, para levá-lo à participação no Reino de Deus. Assim sendo, os vicentinos devem estar sempre buscando orientações e atualizando-se nas modernas maneiras de assistir os homens de nossos dias, em suas misérias.

 As Conferências Vicentinas e sua Sistemática Operacional

 As Conferências Vicentinas são grupos de pessoas, formadas, de no máximo, 15 (quinze) membros. Orienta-se ocorrer um desmembramento quando ultrapassar-se esse número. Evita-se com isso lentidão na assistência às famílias. Sua sistemática de operação é simples: reuniões semanais, com visitas às famílias assistidas, acompanhada de disponibilidade, humildade, simplicidade, zelo, afeto e espiritualidade.

 Ser Vicentino... Por quê?

 Ser caridoso, viver o amor pregado por Jesus, é um dever de todo e qualquer cristão, é nosso dever dar testemunho da fé que tanto pregamos, julga-se uma árvore pelos seus frutos, assim disse o Senhor, “como pode uma árvore boa dar frutos ruins?” Em sua epístola São Tiago também vem nos chamar a atenção: “A fé sem obras é morta”.

Participando de uma conferência você terá a oportunidade de praticar a caridade de uma forma muito mais organizada, junto de pessoas com o mesmo ideal: Servir a Jesus Cristo na pessoa dos pequeninos, pessoas amigas que lhe inspirarão e lhe ajudarão a praticar a caridade cada vez mais, buscando junto com você o ideal da santificação através do serviço aos pobres.

“Os pobres nos abrem as portas para a eternidade”, já dizia São Vicente de Paulo, e não há o que se contestar, afinal foi o próprio Jesus que prometeu aos que praticassem em seu nome obras de misericórdia “cem por um, e o reino do céu”.

 Mas não tenho o que dar...

 Mais importante do que os alimentos, remédios e outras necessidades materiais que os membros da Sociedade de São Vicente de Paulo dão a seus assistidos, é a visita semanal que eles fazem ao lar do pobre, pois é nesta visita que os vicentinos dão amor, carinho, atenção, conversam, e principalmente, ouvem o pobre, ali há uma troca de amor, onde o vicentino aprende a humildade com o Cristo presente no irmão necessitado. Assim disse o fundador da Sociedade de São Vicente de Paulo, o Beato Antônio Frederico Ozanam “Aprendamos, na nossa visita ao pobre, que ganhamos mais com esta, do que ele. Porque a presença da sua miséria servirá para nos tornar melhores”.

 O que devo fazer?

 O primeiro passo é descobrir o horário de reuniões de alguma conferência vicentina em sua comunidade, a partir daí você passa a freqüentar as reuniões, nas quais será escalado juntamente com os demais membros para visitar os assistidos da conferência, e chamado pelo próprio Cristo a colaborar para a promoção humana desses nossos irmãos carentes. Daí então descobrirá o que seduz centenas de milhares de cristãos no Brasil e no mundo que participam da Sociedade de São Vicente de Paulo.

 Nossos Assistidos... Quem são?

 Nenhuma obra de caridade é estranha à Sociedade de São Vicente de Paulo, sua ação compreende qualquer forma de ajuda, por contato pessoal, no sentido de aliviar o sofrimento e promover a dignidade e a integridade do homem. A Sociedade não somente procura mitigar a miséria, mas também descobrir e remediar as situações que a geram, sendo assim, qualquer pessoa carente pode ser um assistido da SSVP, podendo se entender como carência não somente situação financeira, mas também, física ou espiritual. São geralmente assistidos da SSVP: famílias carentes economicamente, internos das Obras Unidas da Sociedade de São Vicente de Paulo, idosos, enfermos, etc...

 O que é feito?

 A maioria dos assistidos da Sociedade de São Vicente de Paulo são famílias carentes economicamente, essas recebem das Conferências mantimentos, remédios, roupas, calçados, materiais escolares e em alguns casos até mesmo materiais de construção, de acordo com as possibilidades de cada conferência, uma vez que os recursos se originam principalmente das coletas realizadas durante as reuniões, eventos promovidos nas comunidades e contribuições de benfeitores. As Conferências também visitam semanalmente cada família assistida a fim de evangelizá-los, instruí-los como solucionar os problemas que lhes causam a pobreza e também para acompanhar o desenvolvimento dos mesmos, uma vez que o objetivo da SSVP, além da santificação de seus membros através da prática da caridade, é promover seus assistidos, isto é, o objetivo das Conferências é prestar um socorro temporário, e nesse período, auxiliar as famílias a recuperarem sua dignidade humana, em outras palavras, a SSVP não dá o peixe, ensina a pescar.

O presidente da Conferência designa toda semana a cada um de seus membros qual (ou quais) família(s) deverão visitar até a próxima reunião. Esses vão até o lar de cada assistido conversam com as famílias, e principalmente, ouvem, fazem um momento de oração com os mesmos, havendo sempre a preocupação de não deixar que as famílias percam sua fé em Deus, apesar das dificuldades passageiras. Durante as visitas também são verificadas as necessidades materiais das famílias afim de discutí-las e solucioná-las na próxima reunião da Conferência.

 Como as famílias se tornam assistidas de uma Conferência?

 A SSVP leva sua ajuda a quantos dela precisam, independentemente de raça, cor, nacionalidade, credo político ou religioso e posição social, desta maneira, qualquer um pode solicitar uma sindicância para sua casa ou de um terceiro a uma conferência.

Feito isto, a Conferência visitará a casa da família que será assistida, a fim de identificar suas necessidades e preencher seus dados para que possa ser feito o acompanhamento caso a sindicância seja aprovada, em seguida os membros que realizaram a sindicância levam a ficha com os dados da família para a reunião, onde todos os membros, após ouvi-los e analisarem os dados da ficha, decidirão se a sindicância será aprovada ou não, somente em casos em que a família solicita ajuda material e se identifique que os mesmos realmente não necessitam é que uma sindicância é reprovada.

 Os Vicentinos da Paróquia

 A Paróquia São Francisco de Assis tem hoje 30 membros vicentinos, distribuídos nas 4 Conferências: São Francisco de Assis (Santuário); Nossa Senhora do Rosário (Comunidade São José); Nossa Senhora de Fátima (Comunidade da Fátima); e Nosso Senhor Bom Jesus (Comunidade Bom Jesus).

Os Vicentinos distribuem 80 cestas básicas por mês para as famílias carentes, além de roupas e calçadas e medicamentos e gás de cozinha.

 

 
 
Principal Sobre o Santuário Os Freis Galeria de Fotos Horários Notícias Fale conosco  
 

Este site foi visitado 227707 vezes.

© 2009 Santuário São Francisco de Assis - Penápolis. Todos os direitos reservados.