Penápolis, Sexta-Feira, 24/11/2017 PrincipalFale conosco
Busca
Principal Sobre o Santuário Os Freis Evangelho do dia Horários Notícias Fale conosco
 
Cadastre seu e-mail e receba uma mensagem de paz em sua caixa postal todas as semanas
Nome
E-mail
PASTORAL DO BATISMO

SIMBOLOGIA DO BATISMO CATÓLICO

 

Nós nascemos fisicamente em nossa família. No batismo nascemos para a comunidade Cristã, a grande família, que é a Igreja. O Batismo é a celebração da nossa união em Cristo. Nele recebemos todos os dons e virtudes necessárias para caminharmos na fé, ou seja, recebemos os dons que nos habilitam a viver em união com Deus neste mundo. Pelo Batismo nos é concedido:

Fé – Certeza de que Deus nos ama e nos oferece em Jesus Cristo, e somente Nele, o Caminho, a Verdade e a Vida.

Esperança – Consciência de que nossa vida não acaba neste mundo; de que ela é eterna; viemos de Deus e para Ele voltaremos.

Caridade – É o amor de Deus em nós, que nos faz amá-lo sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

O Batismo é o primeiro sacramento que recebemos e nos faz realmente filhos de Deus, nos faz pertencer à Igreja, Povo de Deus. Essa é uma graça muito grande concedida por Deus a nós, por meio de Jesus. Nele, nós assumimos a mesma missão de Jesus: o compromisso com o Reino de Deus. Pelo batismo somos impulsionados a dizer: “Eu creio, nós cremos”. É o sacramento por excelência vocacional.

Com o batismo começa uma vida nova. A pessoa deixa de pertencer a si mesma, aos pais naturais e ao mundo, para pertencer a Deus e à família dos filhos de Deus.

Doravante o ponto de referência da vida da pessoa é a vida da Trindade que nela habita e a conduz à sua plena realização, como diz São João: “Amados, desde agora já somos filhos de Deus, embora ainda não se tenha tornado claro o que vamos ser. Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque nós o veremos como Ele é” – 1 Jo 3,2.

Jesus torna-se o espelho de cada pessoa batizada, e cada uma se compromete a segui-lo, na obediência ao Pai e sob inspiração do Espírito Santo. O centro da vida de Jesus foi o projeto de Deus, que é a justiça, cujo fruto é a liberdade e a vida para todos. Cabe a cada um praticar o caminho dessa justiça, fazendo da própria vida e ação um testemunho a serviço da liberdade e da vida pra todos.

Cada pessoa batizada é, portanto, chamada a colaborar com o surgimento de um mundo novo e uma nova história, nos quais vai se revelando, pouco a pouco, a face do Pai, cada vez mais “tudo em todos”. 1 Cor 15,28.

O batismo é o primeiro e principal sacramento do perdão dos pecados, porque no une a Cristo morto por nossos pecados, ressuscitado para nossa justificação, para que “também vivamos vida nova” Rm 6,4. É principio da fé e fonte de todas as vocações e nos recorda que todas as vocações são um modo de viver, em cada estado de vida, a santidade a que todos os cristãos são chamados na comunidade. 

O batismo nos torna evangelizador. Jesus diz ao batizado: “Ide por todo mundo e pregai o evangelho” e não se você quiser... Mt 28-19-20.

 

Existem três tipos de Batismo:

Além do Batismo da água, o normal, existe ainda dois outros modos de recebermos o Batismo: o Batismo de sangue e o Batismo de desejo.

O Batismo de sangue é recebido por uma pessoa que, sem nunca ter sido batizada, seja morta por defender a Fé católica. Foi o caso de muitos mártires que morreram por amor a Nosso Senhor Jesus Cristo.

E o Batismo de desejo é recebido por uma pessoa que, sem ter como chegar até um Padre, morre sem poder receber o Batismo que desejava receber. Qualquer desses três modos de receber o Batismo é suficiente para nos dar a Fé e assim nos permitir ir para o Céu.

 

Frutos do Batismo

a) Batismo é a porta de entrada para a comunidade e meio necessário à salvação, pelo menos em desejo. É o sacramento da vida nova porque nos faz nascer para Deus. Este sacramento nos liberta do pecado original, nos torna filhos de Deus, irmãos de Jesus Cristo, morada do Espírito Santo e membros do Corpo Místico de Cristo que é a Igreja. O batismo abre a porta para recebermos os outros sacramentos. É o primeiro sacramento que recebemos.

b) Batizar é mergulhar com os pecados na Graça de Deus e retornar sem eles. Conseqüências deste mergulho: perdão dos pecados, nova criatura, união com DEUS e a Igreja, filhos de Deus, herdeiros do céu e certeza da ressurreição.

c) Batismo é morte e ressurreição. Morte para o pecado, renascimento para a vida eterna. “Em verdade, em verdade, eu te digo: quem não nascer da água e do Espírito não entrará no reino de Deus” (Jo 3,5). O Batismo imprime caráter, isto é, ele nos sela, nos marca para todo sempre, por isso, que só se batiza uma única vez na vida. O Batismo é irrevogável. Você pertence Jesus Cristo para sempre. Pelo batismo somos enxertados em Jesus - CIC 1227 (comentar aqui a renovação das promessas batismais)

 

Diretrizes Pastorais 

Quem pode receber o batismo: Pode ser batizada toda pessoa ainda não batizada e somente ela (cân. 864).

 

Batismo de Crianças

A Igreja sempre batizou crianças e adultos. A prática de batizar crianças é atestada explicitamente desde o segundo século. Mas é bem possível que desde o início da pregação apostólica, quando “casas” inteiras receberam o batismo, também as crianças fossem batizadas (cf. At 10,44-48).

Nascidas com uma natureza humana decaída e manchada pelo pecado original, as crianças precisam do novo nascimento no batismo, a fim de serem libertadas do poder das trevas e transferidas para o domínio da liberdade dos filhos de Deus.

Toda criança tem direito ao sacramento do batismo, independentemente da situação civil dos pais (solteiros, amasiados, separados ou divorciados), mediante o compromisso dos pais e padrinhos de assumirem a formação cristã da criança.

Filhos de pais que não têm a mesma religião, sendo um deles católico e o outro não, podem ser batizados mediante pedido do casal ou apenas da parte católica.

Uma criança não batizada, a partir dos sete anos, só pode ser aceita para o batismo após receber instrução sobre as principais verdades da fé, a pessoa de Jesus Cristo e o significado deste sacramento. O tempo da preparação depende da realidade de cada criança.

Os fetos abortivos, que estiverem vivos, sejam batizados enquanto possível (Cân. 871).

 

Ministros do batismo

São ministros ordinários do batismo o bispo, o presbítero e o diácono. Em caso de necessidade pastoral, ministros extraordinários do batismo poderão ser designados pelo bispo local, sem substituir os ministros ordinários (Cf. CNBB, Doc. 19, Batismo de crianças, n° 197-202 e Doc. 62, Missão e ministério dos cristãos leigos e leigas).

Em perigo de morte, qualquer pessoa movida por reta intenção pode administrar este sacramento (Cf. cân. 861,2).

Os párocos sejam solícitos para que os fiéis aprendam o modo certo de batizar (Cf. Cân 861,2).

 

Os Padrinhos

Cabe aos padrinhos, tanto quanto possível, acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao batismo o batizando criança (Cf. Cân. 872).

Habitualmente, a escolha recai sobre um padrinho e uma madrinha; podendo-se também admitir apenas um padrinho ou uma madrinha (Cân. 873).

A escolha do padrinho ou madrinha deve ser feita pelos pais ou responsáveis pela criança.

Se for adulto, cabe ao batizado a escolha.

Em situações extraordinárias de falta de padrinho, o ministro do batismo pode também proceder à escolha.

O padrinho/madrinha não pode ser o pai nem a mãe do batizando.

Deve ser católico, fiel aos preceitos da Igreja e ter 16 anos completos ou maturidade suficiente, de acordo com o parecer do ministro ordinário.

Um católico, por motivo de parentesco ou amizade, pode servir de testemunha cristã de uma pessoa que vai ser batizada numa Igreja cristã não-católica, desde que a mesma não tenha sido batizada na Igreja católica.

De forma semelhante, um cristão não-católico, ao lado de um padrinho católico, pode servir de testemunha cristã de uma criança que vai ser batizada na Igreja Católica.

 

Preparação dos pais e padrinhos

Os pais, ao pedirem o batismo para a criança, estão pedindo para ela também a fé, como aparece no rito de acolhida do batismo. Em vista da responsabilidade que assumem, devem ser adequadamente preparados pela comunidade.

A preparação para o Batismo seja feita de preferência na paróquia da qual participam os pais e os padrinhos, territorial ou de afinidade. A preparação se faz:

Na comunidade, fora dos momentos de celebração, reunindo várias famílias e padrinhos das crianças que serão batizadas, ou na casa do batizando, com a presença de membros da equipe da pastoral do batismo e do maior número possível de familiares e dos padrinhos futuros do batizando.

 

Objetivos da preparação

A preparação dos pais e padrinhos, momento privilegiado do anúncio de Jesus Cristo e de seu Evangelho, tem como objetivos:

§ Anunciar e testemunhar a alegria de seguir Jesus Cristo;

§ Transmitir o gosto de pertencer à Igreja Católica;

§ Dialogar com eles sobre a missão da Igreja;

§ Despertar, acender, reanimar ou intensificar a fé;

§ Ajudar os que desconhecem a comunidade a conhecê-la;

§ Procurar integrar as famílias na vida da comunidade;

§ Acolher e motivar as pessoas para a importância da fé na vida da família;

§ Acolher as esperanças e angústias dos pais e padrinhos;

§ Rezar com a família e padrinhos para agradecer o dom da vida da criança.

 

BATISMO EM OUTROS RITOS DA IGREJA CATÓLICA

São mutuamente reconhecidos os batizados nos diversos ritos existentes na Igreja Católica.

Os católicos de rito romano devem realizar o batismo no próprio rito.

 

VALIDADE DO BATISMO EM OUTRAS IGREJAS E COMUNIDADES ECLESIAIS

Sobre a validade do batismo em outras Igrejas e Comunidades Eclesiais, levando em conta os princípios estabelecidos pelo Diretório Ecumênico, assim como a prática das Igrejas atuantes no Brasil, podem ser dadas as seguintes orientações:

Diversas Igrejas batizam, sem dúvida, validamente; por essa razão, um cristão batizado numa delas não pode ser rebatizado, nem sequer sob condição. Essas Igrejas são:

§ Igrejas Orientais, que não estão em plena comunhão com a Igreja católica-romana, das quais, tanto as pré-calcedonianas quanto as ordodoxas. Pelo menos seis dessas Igrejas encontram-se presentes no Brasil, com sacerdotes e templos próprios. Deve-se, porém, atender ao fato de que, entre nós, a palavra ortodoxo não é garantia de pertença a este grupo, pois é usada também indevidamente por alguns grupos derivados da ICAB (= Igreja Católica Apostólica Brasileira).

§ Igrejas vetero-catolicas, das quais houve outrora algumas paróquias, mas atualmente parece que não existe, em nosso país, nenhum grupo organizado. Contudo, o adjetivo vetero-católico também é usado abusivamente por grupos destacados da ICAB.

§ Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e todas as igrejas que formam parte da Comunhão Anglicana;

§ Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB)) e todas as Igrejas que se integram na Federação Luterana Mundial;

§ Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB);

§ Igreja Metodista e todas as Igrejas que pertencem ao Conselho Metodista Mundial.

 

Há diversas Igrejas nas quais, embora não se justifique nenhuma reserva quanto ao rito batismal prescrito, contudo, devido à concepção teológica que têm do batismo – por exemplo, que o batismo não justifica e, por isso, não é tão necessário -, alguns de seus pastores, segundo parece, não manifestam sempre urgência em batizar seus fiéis ou em seguir exatamente o rito batismal prescrito: também nesses casos, quando há garantias de que a pessoa foi batizada segundo o rito prescrito por essas igrejas, não se pode rebatizar, nem sob condição. Essas Igrejas são:

a) Igrejas presbiterianas;

b) Igrejas batistas;

c) Igrejas congregacionais;

d) Igrejas adventistas;

e) A maioria das Igrejas pentecostais;

f) Exército da Salvação. Esse grupo não costuma batizar, mas, quando o faz, realiza-o de modo válido quanto ao rito.

 

Há Igrejas de cujo batismo se pode prudentemente duvidar e, por essa razão, requer-se, como norma geral, a administração de um novo batismo, sob condição. Essas Igrejas são:

a) Igrejas pentecostais que utilizam a fórmula ‘eu te batizo em nome do Senhor Jesus’, como a Igreja Pentecostal Unida do Brasil, ou a Congregação Cristã do Brasil (que a permite como alternativa à tradicional fórmula trinitária);

b) Igrejas Brasileiras, ou seja o conjunto de grupos (pelo menos, trinta diferentes). Embora não se possa levantar nenhuma objeção quanto à matéria ou à forma empregadas por esses grupos, contudo, pode-se e deve-se duvidar da intenção de seus ministros.

 

BATIZAM INVALIDAMENTE

a) Mórmons: negam a divindade de Cristo, e introduzem um conjunto de crenças que conflitam por inteiro com a fé cristã;

b) Testemunhas de Jeová, que, mais do que um grupo cristão, deveriam ser consideradas como um grupo neo-judaico;

c) Ciência Cristã: o rito que pratica, sob o nome de batismo, possui matéria e forma certamente inválidas.

d) Certos grupos não propriamente cristãos, como a Umbanda, que praticam ritos denominados de batismo, mas que se afastam substancialmente da prática católica.

 

Símbolos do Batismo

1. O nome – Isto vem nos lembrar que Deus nos conhece pelo nome.

2. Sinal da Cruz – O Padre traça no peito e na testa para significar que o batizando, pelo batismo, participa da morte libertadora de Jesus Cristo. É a identidade do Cristão. Lembra a graça da redenção que Cristo nos proporcionou na Cruz.

3. A água – Purificação e vida nova. A água batismal nos lava do pecado original e nos torna filhos de Deus e membros da Igreja. O Celebrante derrama água na cabeça do batizando pronunciando as palavras: “Eu te batizo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. O mais importante no Batismo é a graça de Deus. A água é sinal de graça (sentido pleno), isto é, purificação total.

4. A luz da vela – É a concretização visual daquilo que Cristo é para o mundo. “Eu sou a luz do mundo” (Jo8, 12). Aquele que ilumina, que revela o homem ao próprio homem. Aquele que ensina ao homem o que ele é. Nos recorda também que Jesus está vivo, Jesus ressuscitou. A vela acesa simboliza a presença do Espírito na vida do batizando, simboliza também a fé em Jesus ressuscitado. Ele vai iluminar o seu caminho na fé, vai dar-lhe força e coragem para segui-lo até mesmo no sofrimento.

5. O óleo (força) – Lembra para o batizado, que a sua vida vai ser de luta para viver a fidelidade ao compromisso da fé. Somos ungidos com óleo, para lembrar que recebemos a força de Deus para seguir a nossa vocação. Mas qual é a nossa vocação? É a de evangelizar.

6. A veste branca – o que simboliza o branco? A veste branca expressa a pureza, a vida nova que recebemos no Batismo e que agora vamos viver. É também sinal do Espírito Santo que nos purifica, perdoa e nos santifica.

7. No batismo recebemos a missão de sermos missionários, isto é, pregar a boa nova a todos que encontrarmos em nossos caminhos. A unção com o óleo nos lembra também que pelo batismo, tornamos participantes do poder messiânico (missão) de Cristo: Sacerdotal, Profético e Real.

Sacerdotal- todo batizado é sacerdote, isto é, deverá doar-se a favor dos irmãos.

Profético - isto é, deverá anunciar com coragem o Evangelho e denunciar todo tipo de erro.

Real– isto é, o batizado faz parte da realeza de DEUS.
Os protestantes criticam o nosso batismo, pois Cristo foi batizado já adulto. Como entender isso?

 

Quanto à questão do batismo de Jesus, é necessário verificar que o batismo de João não era o mesmo que nós recebemos. O batismo de João era somente um batismo de penitência, não era uma realidade definitiva Mt 3,11: “Eu vos batizo...”

Para explicar o batismo ainda pequenos podemos comparar com a circuncisão – “Nele também fostes circuncidados...”.Repetidas vezes o NT nos apresenta famílias inteiras sendo batizadas, sempre existem crianças em uma casa At, 33b; At, 24-48; At, 15.

E ainda, podemos nos reportar à “Nova e Eterna Aliança”, o batismo substitui a circuncisão da “Antiga Aliança”, como rito de entrada para o povo escolhido de Deus. Ora, se o próprio Deus ordenou a Abraão circuncidar os meninos já no 8º dia depois do nascimento, sem exigir deles uma fé adulta e livre escolha, então não seria lógico recusar o batismo às crianças dos pais cristãos, por causa de tais exigências.

Também podemos comparar com os diversos cuidados que temos tais como: colégio, médico, roupas, etc. por que queremos dar? Por que são coisas boas. Quem espera o filho crescer para que ele possa escolher o nome, o que ele quer fazer, etc...

E o que é melhor na nossa vida? Não é a fé. Pois bem, é no batismo que nos é dado a fé. É claro que só pode ser batizado aquele que crê, mas nos casos das crianças são batizadas na fé dos pais e dos padrinhos (é claro que muita gente batiza por tradição. Cuidado com os crentes que poderão te pegar)!

 

Ministros do Batismo

Os bispos, padres e diáconos. Em caso de emergência qualquer pessoa pode batizar mesmo sendo pagã, desde que queira fazer o que a Igreja Católica faz no Batismo, que use água e diga as palavras da forma do Batismo. Deverá derramar água na cabeça da pessoa e pronunciar as palavras: “Fulano, Eu te batizo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

Temos também o batismo no Espírito Santo que é o envolvimento no Espírito Santo. Pelo Sacramento do batismo eu tenho o Espírito Santo. O Espírito Santo é infundido em mim. Para simplificar podemos comparar com um vidro de perfume. O perfume contém a essência e ao retirar a tampa o aroma se isala e invade o ambiente, isto é a efusãodo perfume.

 

Sacramento do Batismo

· realizado em nome do Pai, Filho e Espírito Santo (É o próprio DEUS que realiza).

· completo, perfeito, eficaz, definitivo, indelével e só recebe uma vez.

· a pessoa possui o Espírito Santo, ela conduz o Espírito Santo, isto é, ela é templo ou morada do Espírito santo.

· infusão do Espírito Santo (de fora pra dentro, há entrega do Espírito Santo ao cristão)

· O Sacramento do batismo nos faz discípulos. O sacramento do batismo nos faz discípulos.

 

Batismo no Espírito Santo

· realização conjunta de Deus e o homem, isto é, com a decisão do homem.

· incompleto, imperfeito, não é definitivo e pode e deve acontecer varias vezes.

· a pessoa é possuída pelo Espírito Santo, Ela é conduzida pelo Espírito Santo e o Espírito Santo está fora dela. Ele esta em volta dela.

· Efusão (de dentro para fora) A pessoa se entrega, ela é possuída e conduzida pelo Espírito Santo.

· O batismo no Espírito Santo nos faz apóstolos. Ex: Os Apóstolos At 2,1-16; Ez 36,26.

Documentos necessários para agendar o batizado? 

1. Certidão de Nascimento da criança

2. Comprovante do curso de pais e padrinhos

3. Taxa de batizado 40 reais (se puder).

4. Se acaso os pais moram em outra cidade, precisa de uma autorização da paróquia a qual pertença.

 

Quais são os dias para marcar o batizado?

Fazer a inscrição na secretaria paroquial de segunda a sexta-feira, das 8:00hs ás 17:00hs, na semana do batizado.

O Batismo é realizado todo 1º e 3º Domingo no Santuário São Francisco de Assis, logo após a missa das 7:00hs.

 

Preparação de Batismo Para Pais e Padrinhos

Mês
Sexta
Sábado
Local
Horário
Janeiro
13
24
Santuário
19H30
Fevereiro
10
25
Santuário
19H30
Março
03
18
Santuário
19H30
Abril
07
22
Santuário
19H30
Maio
05
27
Santuário
19H30
Junho
02
24
Santuário
19H30
Julho
07
29
Santuário
19H30
Agosto
11
26
Santuário
19H30
Setembro
08
30
Santuário
19H30
Outubro
06
21
Santuário
19H30
Novembro
10
25
Santuário
19H30
Dezembro
-
09
Santuário
19H30
 
 
Principal Sobre o Santuário Os Freis Galeria de Fotos Horários Notícias Fale conosco  
 

Este site foi visitado 227707 vezes.

© 2009 Santuário São Francisco de Assis - Penápolis. Todos os direitos reservados.