Penápolis, Sábado, 19/01/2019 PrincipalFale conosco
Busca
Principal Sobre o Santuário Os Freis Evangelho do dia Horários Notícias Fale conosco
 
Cadastre seu e-mail e receba uma mensagem de paz em sua caixa postal todas as semanas
Nome
E-mail
Evangelho - Ano a
<< Janeiro / 2019 >>
Semana Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
1 ª 1 2 3 4 5
2 ª 6 7 8 9 10 11 12
3 ª 13 14 15 16 17 18 19
4 ª 20 21 22 23 24 25 26
5 ª 27 28 29 30 31

 

Jesus e o homem da mão aleijada - Mc 3,1-6 - 19/01

 





Texto:
Jesus foi outra vez à sinagoga. Estava ali um homem que tinha uma das mãos aleijada. Estavam também na sinagoga algumas pessoas que queriam acusar Jesus de desobedecer à Lei; por isso ficaram espiando Jesus com atenção para ver se ele ia curar o homem no sábado. Ele disse para o homem: - Venha cá! E perguntou aos outros: - O que é que a nossa Lei diz sobre o sábado? O que é permitido fazer nesse dia: o bem ou o mal? Salvar alguém da morte ou deixar morrer? Ninguém respondeu nada. Então Jesus olhou zangado e triste para eles porque não queriam entender. E disse para o homem: - Estenda a mão! O homem estendeu a mão, e ela sarou. Logo depois os fariseus saíram dali e, junto com as pessoas do partido de Herodes, começaram a fazer planos para matar Jesus.

Comentário: Com a menção de que "outra vez Jesus entrou na sinagoga", Marcos articula esta narrativa com a da expulsão do espírito impuro de um homem na sinagoga. Em ambas a sinagoga caracteriza-se como o espaço do espírito impuro e da exclusão. As várias narrativas de milagres evidenciam os gestos de Jesus que atentam contra a ordem legal. Ele liberta o povo da lei da impureza, da culpabilidade do pecado, da exclusão do convívio social, das observâncias do jejum e do sábado. Descrevendo seu "olhar irado", "entristecido pela dureza de seus corações", Marcos deixa bem clara a contundente denúncia feita ao sistema sociorreligioso vigente. E as descrições de curas individuais sinalizam para o empenho maior de Jesus em libertar os excluídos de suas privações. Assim se realiza o Reino de Deus, isto é, uma sociedade igualitária, sem classes privilegiadas vivendo às custas das classes oprimidas, com direito de todos a uma vida digna e plena. Tal sociedade é regida pelo amor e se vive em comunhão com o Pai.



 
 
Principal Sobre o Santuário Os Freis Galeria de Fotos Horários Notícias Fale conosco  
 

Este site foi visitado 246871 vezes.

© 2009 Santuário São Francisco de Assis - Penápolis. Todos os direitos reservados.